A Toyota mostrou ontem um pequeno vídeo ‘teaser’ sobre a sua nova arma para o agrupamento R3 de ralis (ler todos os pormenores aqui). Hoje divulgou mais pormenores sobre este projeto que fará a sua estreia como carro de abertura do próximo Rali da Alemanha (21 a 24 de agosto), prova pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis WRC. Para conduzir o novo carro de ralis a Toyota Motorsport GmbH escolheu a piloto alemã Isolde Holderied conhecida pelos bons resultados em meados da década de 90 aos comandos de um Mitsubishi Lancer Evolution e de um Toyota Celica Gt-Four em provas do WRC.

O Toyota GT-86 CS-R3 tem motor boxer e tração traseira para uma condução mais espetacular e divertida, trazendo à memória os antigos Toyota Corolla GT Twin Cam AE86 das décadas de 80 e 90, bem conhecidos dos amantes da modalidade em Portugal. A potência máxima deste carro situa-se entre os 240 e os 250 cv. A marca procura cativar os inúmeros pilotos privados dos diversos campeonatos nacionais e internacionais proponto o GT-86 CS-R3 a um preço muito atrativo de forma a permitir o acesso à competição com custos reduzidos.

A Toyota, através da TMG, continua com intenso programa de testes para o seu mais importante carro para ralis. O Yaris WRC começará no final do verão a ser experimentado e afinado para os pisos de terra.

toyota gt-86 cs-r3

 

A Fiat tem centrado as suas operações principais em termos de marketing nos Estados Unidos. Aproveitando a realização do US Open de Surf a marca italiana associou-se ao conhecido fabricante de calçado de desporto (sapatilhas) Vans  para produzir um 500L muito especial.

Com uma pintura bicolor (azul e branco), facilmente distinguimos o 500L Vans pela sua calandra de faróis dianteiros suplementares em LED e pela proteção inferior suplementar visível no parachoques. Para transporte de pranchas e outro material foi instalada uma plataforma de carga que destaca ainda mais este modelo ‘fashion’ da Fiat. No interior todo o tablier foi revestido com um tema muito semelhante aos esboços que os surfistas realizam nas suas pranchas e os pedais receberam revestimento em borracha com padrão idêntico ao do calçado comercializado pela Vans. A identidade desta marca, também ligada aos skaters, está também presente nos motivos escolhidos para forrarem os estofos bicolores deste atraente pequeno crossover italiano.

Em termos mecânicos, nenhuma novidade a acrescentar, a Fiat dotou o 500L Vans Concept com um motor 1,4 litros Turbo Multiair com 160 cavalos já conhecido de outros modelos da marca italiana que detém também a Alfa Romeo.

A produção deste carro não foi confirmada, por enquanto trata-se de um automóvel promocional que pode ser apreciado no desenrolar do Open de Surf Americano, competição que tem lugar na praia de Huntington no estado da Califórnia até ao próximo dia 3 de agosto.

Saiba mais sobre como a gama de modelos da Fiat invadiu as águas da Califórnia e de Miami.

Com o regresso agendado da Toyota para 2017 ao mais alto nível no Campeonato do Mundo de Ralis WRC, a marca japonesa divulgou hoje um outro carro que promete revolucionar os ralis mundiais. Construído de acordo com as especificações técnicas do agrupamento R3 a marca nipónica optou pelo radical coupé GT-86 para construir a versão CS-R3. O carro, que tem motor boxer de origem Subaru, conta ainda com tração traseira. Este tipo de transmissão adoptado pela Toyota para o novo carro de ralis trará espetacularidade acrescida para espetadores e doses massivas de divertimento para os pilotos.

Historicamente este modelo será muito semelhante aos antigos Toyota Corolla GT Twin-Cam da década de 80 que no nosso país tantos sucessos conheceram com os modelos inscritos pela equipa Salvador Caetano. Quem não se recorda dos ralis disputados no Campeonato Nacional por Jorge Ortigão e António Coutinho com estes carros? (saber mais aqui)

Aqui fica o primeiro vídeo do Toyota GT-86 CS-R3 para ralis em ação!

ATUALIZAÇÃO: Para o vídeo ‘onboard’ clicke aqui!

toyota gt-86 cs-r3

A escalada de preços dos Ferrari 250 GTO no mercado de automóveis clássicos continua a bater recordes. Em 1969 um destes automóveis de exceção era comercializado por cerca de 2 mil euros, nos anos 80 começaram a atingir valores de mercado na ordem das centenas de milhar para depois ascenderem à escala dos milhões e ultimamente às dezenas de milhão. No ano passado um Ferrari 250 GTO foi vendido por cerca de 50 milhões de euros, e surgiu há instantes um outro à venda na Alemanha por um valor que quebrará todos os recordes para estes automóveis.

Com apenas 39 exemplares construídos em 1962, apenas dois foram vendidos para a Alemanha, um cinzento e outro vermelho, o que nos leva a acreditar que se trata do chassis 3809GT. Este carro foi entregue novo em 1962 na Suíça e participou em diversas corridas de resistência e de rampa na fase inicial da década. Até 1976 permaneceu na posse do seu primeiro proprietário que o vendeu em 1976 a Hartmut Ibing (arquiteto e investidor) que ainda assim não fez muitos quilómetros com esta peça de joalharia automóvel. No conta quilómetros lêm-se menos de 16.000 km percorridos em cerca de 52 anos.

O preço a que é proposta a venda deste Ferrari 250 GTO, anunciado no site mobile.de(ver anúncio aqui) é de 47,6 milhões de euros. Este é outro dos automóveis que animará o mercado de automóveis clássicos já que a leiloeira Bonhams venderá em The Quail em agosto (ler notícia aqui).

Todo o palmarés do Ferrari 250 GTO chassis 3809GT aqui e a biografia de Hartmut Ibing.

250 gto

A instabilidade política na Rússia poderá levar vários fabricantes de automóveis a encerrarem as suas fábricas no maior país do mundo. De acordo com diversos analistas da indústria automóvel a produção de automóveis na Rússia conhece dias difíceis devido também à queda daquele mercado e à redução das taxas de importação, deixando de fazer sentido os avultados custos de manutenção de unidades industriais.

O mercado automóvel russo caiu cerca de 6% no mês de maio por comparação com o mesmo mês do ano anterior, ou seja, as vendas de automóveis na Rússia poderão encerrar com uma quebra entre 26 e 30%. Mantendo-se esta tendência de queda, as vendas de automóveis novos na Rússia poderão descer dos 3,6 milhões de carros para apenas 2,3 milhões em 2018. O compromisso assumido pelo governo russo com a Organização para o Comércio Mundial (WTO) define que as taxas de importação de veículos produzidos fora do território da Rússia sejam reduzidas dos atuais 25% para 15% em 2019, tornando mais atraente a importação do que a produção de automóveis. Perante uma moeda (Rublo) em desvalorização e com a redução dos incentivos governamentais à produção interna os fabricantes têm já estudos praticamente concluidos referentes à saída das suas forças de produção daquele país de leste. A invasão da Península da Crimeia acrescenta ainda um fator de instabilidade ao investimento, depauperando também os cofres do Kremlin.

Ainda de acordo com os especialistas, a produção local de automóveis por parte de fabricantes estrangeiros (caso da PSA Peugeot Citroën, BMW e General Motors) poderá descer de 52% para apenas 26%, levando a um aumento de cerca de 67% no índice das importações.

Os fabricantes russos de automóveis têm também nos últimos anos reduzido as suas produções para níveis muito baixos e praticamente inexpressivos. A Renault-Nissan celebrou há cerca de um mês o processo de conclusão de aquisição do maior grupo russo de fabrico de automóveis, o Avto-Vaz que produz os carros da Lada. O avultado investimento surgiu em época de declínio do mercado, podendo os resultados financeiros do grupo franco-nipónico serem gravemente afetados por este negócio. Recordamos que em 2001 a General Motors havia encetado uma ‘joint-venture’ com este poderoso grupo industrial para produção do Chevrolet Niva, mas 5 anos depois o grupo viria a ser nacionalizado pela Rosoboronexport, o braço governamental russo responsável pelo comércio de armas, material de defesa, tecnologias e serviços.

Há cerca de um ano a Rússia era apontada como o mais promissor dos mercados da Europa e proximidade de automóveis com um volume gigante de vendas e unidades produzidas naquele território. A instabilidade política dos últimos meses está a deixar este setor da economia russa, movida pelas fortunas do gás natural e do petróleo, em risco de iminente colapso.

Mais informação em: Mercado de automóveis Russo perto do colapso

putin lada kalina

Foto: Postsovietspace.com

Bruno Magalhães regressa este fim de semana à competição com o novo Peugeot 208 T16 R5 no Rali Vinho Madeira. O piloto de Oeiras efetuou esta manhã alguns quilómetros de testes ao volante do carro, todavia viu-se a braços com graves problemas no motor e caixa do automóvel francês. Segundo o piloto, durante a tarde espera retomar os testes de forma a aumentar a confiança e competitividade nesta unidade da mais recente geração.

Bruno Magalhães será navegado na prova madeirense pelo experiente Carlos Magalhães.

bruno magalhaes madeira problemasbruno magalhaes madeira problemas 2

Foto: Eduardo Gonçalves via Facebook

bruno magalhães carro madeira

Esta semana Jay Leno voltou a abrir as portas da sua garagem para os fãs dos motores desta feita para mostrar a sua coleção de motas da BMW. O quarteto de motas retro da BMW do conhecido apresentador americano foi customizado por Larry e Carol Romestant que as construíram na garagem de sua casa. Larry, engenheiro aeroespacial reformado desde cedo que é apaixonado pelas motas da marca de Munique, nomeadamente os modelos da série K dos anos 80 e 90 e conta com a preciosa ajuda da sua mulher Carol. Cada mota que é personalizada pelo casal tem cerca de 6 a 9 meses de intensivo e dedicado trabalho. Além do trabalho estético, as motas vendidas na West Valley Cycle Sales são mais fáceis de utilizar do que as que a BMW vendia à época. Uma das principais modificações operadas nas motas da BMW é a substituição da caixa de cinco velocidades por uma mais atual com seis relações, o que torna as viagens mais longas e a velocidades mais elevadas muito mais agradáveis.

Leia também: Jay Leno conduz Porsche 918 Spyder

Jay-Lenos-garage-bmw

 

 

O projeto pioneiro de condução autónoma empreendido pela gigante tecnológica Google levou anos a desenvolver e deu o seu primeiro fruto há cerca de um mês com o lançamento do seu primeiro automóvel com semelhanças com o BMW Isetta em termos estéticos (saber mais aqui). O mundo reagiu à notícia com natural estupefação e rapidamente todos ficaram fascinados. Atendendo a este tremendo sucesso, a Baidu concorrente chinesa do Google, e terceiro maior motor de pesquisa na Internet mundial revelou hoje ter planos para produzir o seu próprio automóvel sem condutor (recordamos que as operações da Google estão bloqueadas em território chinês).

Segundo informações reveladas há instantes o carro chinês que conduz sozinho utiliza um avançado sistema que utiliza informações recolhidas por sensores baseados em radar, lasers, câmaras e sistema de posicionamento por satélite GPS. Como qualquer produto tecnologicamente avançado do quotidiano conta ainda com reconhecimento de sinais de trânsito, comandos por voz, entre outras funcionalidades orientadas para os chineses, população ávida de tecnologia.  Os testes do carro da Baidu, segundo informações divulgadas pela empresa, arrancarão antes do final do ano, altura em que a empresa surpreenderá a Google e o mundo com um inédito projeto de bicicleta com condução autónoma!!

A Baidu oferece funcionalidades idênticas às que a Google fornece gratuitamente aos utilizadores do resto do mundo. A esfera de atuação comporta motor de busca, enciclopédia contributiva (estilo Wikipedia), pesquisa multimedia, entre tantos outros. O número de visitas a nível mundial do Baidu atingem a quinta posição mundial, seguindo de perto gigantes universais como o Google, Facebook, YouTube e Yahoo, superando outros sites de referência como a Wikipedia, Twitter, Amazon (e até mesmo o Maismotores.net). A Baidu registou também a primeira entrada em bolsa no índíce NASDAQ100 por parte de uma empresa chinesa.

baidu

Foto: Wikipedia

 

A luta pela Taça FIA de Bajas tem agendado este fim de semana mais um intenso duelo com o desenrolar da Baja Aragón (Espanha). O russo Vladimir Vasilyev (Mini ALL4 Racing) lidera com estreita vantagem sobre os pilotos do médio oriente Yazeed Al Rahji (Toyota Hilux Overdrive) e Nasser Al-Attyiah (HRX Ford). O vencedor do Dakar, o espanhol Nani Roma aos comandos de um Mini ALL4 Racing, terá também uma palavra a dizer em termos de classificação geral. A equipa alemã X-Raid Mini conta ainda com Erik Van Loon, Martin Kaczmarksi, Orlando Terranova e Aidyn Rakhimbayevna na ajuda de um bom resultado. Por outro lado, as extremamente competitivas Toyota Hilux preparadas pela equipa Overdrive garantirão forte oposição com os pilotos Marek Dabrowski, Adam Malysz e o brasileiro Reinaldo Varela (vencedor da prova em 2012). O piloto checo Miroslav Zapletal alinhará com o seu já habitual Hummer H3.

A representação portuguesa nesta edição da baja espanhola é tímida. Em ano de grande interesse do Campeonato Nacional de Todo o Terreno (CNTT) a dupla Alejandro Martins / Nuno Rodrigues da Silva em Toyota Hylux Overdrive ambicionam a um resultado de relevo além fronteiras. Paulo Fiúza, credenciado navegador com larga experiência no Dakar, estará presente na prova a acompanhar Guilherme ‘Guga’ Spinelli. Esta prova servirá para o navegador mafrense se ambientar em condições de corrida ao carro em que fará dupla com o piloto Carlos Sousa no próximo Dakar. Paulo Rui Ferreira, com Jorge Monteiro, e Pedro Veríssimo, com Rui Veríssimo, encerram a lista de equipas nacionais, ambas em Nissan Navara OffRoad.

A Baja Aragón tem partida marcada para a próxima sexta feira dia 18 em Teruel pelas 18:30 para a superespecial com 6,5 km de extensão. No sábado os concorrentes enfrentam dois setores seletivos, o primeiro com 116 km e o segundo com 217 km, repetindo no domingo estes mesmos dois setores.

 

Classificação da Taça do Mundo FIA de Bajas

1.VLADIMIR VASILYEV (RUS) 159 pontos;
2 YAZEED ALRAJHI (SAU) 120 pontos;
3 NASSER AL-ATTIYAH (QAT) 102 pontos;
4 MAREK DABROWSKI (POL) 82 pontos;
5 MIROSLAV ZAPLETAL (CZE) 68 pontos;
6 ADAM MALYSZ (POL) 66 pontos;
7 ERIK VAN LOON (NLD) 48 pontos;
8 REINALDO VARELA (BRA) 46 pontos;
9 BORIS GADASIN (RUS) 27 pontos;
10 YURIY SAZONOV (KAZ) 25  pontos…

 

 

Mais informação: www.bajaaragon.com

reinaldo varela

O mais recente avião da Boeing, o 787-9 Dreamliner, começou a ser entregue às primeiras companhias aéreas nas últimas semanas. Com uma construção onde abundam materiais superleves como a fibra de carbono e o alumínio, o avião promete pontes aéreas entre cidades que nunca tiveram ligação direta graças à sua espantosa autonomia reforçada. O grande alcance deste avião, em termos de distância máxima que consegue percorrer, não é apenas o grande trunfo deste ‘Dreamliner’ de luxo projetado para abater a mais recente aeronave supereficiente da concorrente europeia Airbus. A maneabilidade ímpar foi demonstrada pela Boeing recorrendo a um conjunto de muito experientes pilotos que rasgaram os céus com este avião gigante em conjuntos de manobras que apenas alguns aviões mais pequenos e mais rápidos conseguem superar. Será que o seu estômago iria aguentar tantas curvas em Fernborough (Estados Unidos)?

Boeing 787-9

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d bloggers like this: