A terceira passagem no shakedown, do Rali da Alemanha foi aziaga para o belga Thierry Neuville. O piloto despistou-se a 1,7 km da partida da classificativa de Konz (total de 4,6 km) numa sequência de duas curvas para a esquerda. Segundo fontes ligadas à equipa Hyundai em declarações ao site oficial WRC.com, Neuville capotou seis vezes deixando o Hyundai i20 WRC bastante mal tratado, sobretudo do lado direito. Nem Neuville nem o seu navegador, Nicholas Gilsoul, sofreram quaisquer danos físicos já que as vinhas absorveram grande parte da energia resultante do despiste.

A equipa encontra-se neste momento a avaliar os danos no carro do piloto belga, podendo estar comprometida a participação na 9ª prova do Campeonato do Mundo de Ralis WRC, num momento em que faltam disputar apenas quatro provas.

Volkswagen dominou shakedown

Jari-Matti Latvala foi o piloto mais rápido do trio de azes da Volkswagen. O finlandês superou, aos comandos do seu habitual Voklswagen Polo R WRC, em meio segundo a marca assinada pelo atuar líder do Campeonato do Mundo e seu colega de equipa Sébastien Ogier. Andreas Mikkelsen foi terceiro a 0,6 segundos.

Kris Meeke, em Citroen DS3 WRC conseguiu a quarta marca a 1,7 segundos de Latvala, tendo o espanhol Dani Sordo (vencedor da edição de 2013) e o finlandês Mikko Hirvonen completaram o top 6 em Hyundai i20 WRC e Ford Fiesta RS WRC respetivamente.

neuville capotanço WRC Alemanha

Foto: @TorsteinEriksen

O aumento de episódios filmados no trânsito com câmaras GoPro tem vindo a aumentar exponencialmente nos últimos tempo dando-nos a chance de vermos acidentes e peripécias insólitas. A mais incrível que vimos nos últimos tempos aconteceu na Bielorrússia quando um motociclista abalroa a traseira de um automóvel numa autoestrada e fica sentado em cima do tejadilho do carro.

Um vídeo incrível, de um acidente com um motociclista que não deve ter sofrido ferimentos de maior.

acidente de mota bielorussia

 

A McLaren afirma que este é o melhor carro para pista existente no mundo e disponível para clientes, nós acreditamos! O McLaren P1 já na sua versão de estrada é um carro diabólico, com mais 83 cv o P1 GTR vem elevar ainda mais a adjetivação possível para um automóvel. A motorização compreende um motor térmico V8 com 3,8 litros de cilindrada auxiliado por um motor elétrico. Ambos somam 986 cv de potência, um nível tão elevado que coloca o carro britânico perto dos padrões de um Bugatti Veyron. Com tanta potência disponível, o P1 GTR é capaz de atingir os 100 km/h em apenas 2,8 segundos. 

O chassis da versão GTR do P1 é o mesmo da versão ‘normal’ e mais civilizada. Construído numa ‘monocoque’ de fibra de carbono o P1 GTR tem afinações especiais de suspensão e a sua altura ao solo sofreu igualmente uma redução. O trem dianteiro foi também alterado passando a apresentar uma largura de vias superior em 8 cm de forma a que o GTR morda ainda com mais garras as curvas do seu ecossistema: as pistas para automóveis. 

Para uma aura superior este modelo da McLaren tem inédito sistema de escape fabricado em Inconel e titânio. Exteriormente o P1 GTR distingue-se pela sua aerodinâmica já que conta com um conjunto de apêndices de superiores dimensões que permitem regulações extra de forma a maximizar a performance consoante o tipo de traçado que enfrente. Para minimização do tempo de imobilização nas ‘boxes’ o P1 GTR tem enormes jantes de 19 polegadas com porca de aperto central e um engenhoso sistema de macacos hidráulicos herdados do já conhecido McLaren 650S GT3. Os pneus montados no eixo dianteiro têm 270 de largura, enquanto que atrás os enormes 330 cumprem a função de colocar toda a potência no asfalto. 

A McLaren apenas venderá exclusivamente a clientes que desembolsem 2 milhões de libras, e que possuam já um dos 375 P1 de estrada produzidos. A produção inicial do P1 GTR será de apenas trinta unidades. 

A manutenção destes carros estará a cargo da McLaren’s Special Operations (MSO) que terá também a cargo a formação a nível físico e psicológico dos milionários pilotos. 

Historicamente o P1 GTR sucede ao F1 GTR, a versão GT do mítico supercarro da McLaren que venceu em 1995 as 24 Horas de Le Mans através do preparador semi-oficial Garage 56. 

McLaren P1 GTR

n other words, it’s Skoda’s attempt at injecting a little character and ‘emotion’ into its little supermini. Though it’s not that little anymore.

A Skoda revelou as primeiras imagens do novo Fabia. Urbano por excelência, o novo Fabia estreia uma outra linguagem de design na marca do universo Volkswagen que o público terá oportunidade de apreciar pela primeira vez quando o Salão do Automóvel de Paris abrir as portas. A nova geração do pequeno Skoda conta com maior habitabilidade no interior, assim como a maior bagageira entre os concorrentes do seu segmento. 

Face à anterior geração o novo Fabia cresceu 9 cm e ficou 3 cm mais baixo, recuperando a aparência desportiva perdida aquando do lançamento da anterior geração. Apesar de serem ainda conhecidos poucos detalhes em relação às motorizações que vão equipar o novo Fabia, assim como à plataforma em que o automóvel se baseia. Será expectável que a marca recorra aos motores partilhados pelo grupo Volkswagen nas suas marcas. A motorização de entrada contará com o pequeno ‘mil’ de três cilindros a gasolina, 1,2 TSI e 1,4 TDI. A Skoda afirma ainda em comunicado que para o novo Fabia os técnicos preocuparam-se em reduzir significativamente os consumos de combustível. 

O design do novo Fabia reflete o regresso às origens da herança da marca em oferecer automóveis com aspeto desportivo, tendo o departamento de competição (Skoda Motorsport) trabalhado em conjunto com a equipa de designers responsáveis pelo projeto. 

novo Fabia novo fabia 2

O Chevrolet Corvette é o carro de sonho dos americanos e para prevenir abusos por parte de terceiros a General Motors decidiu oferecer nas novas produções do ‘Ferrari americano’ um modo ‘valet’. Assim cada vez que um proprietário de um Corvette entregar o seu carro ao porteiro de um hotel para o estacionar passa a dispor de um conjunto de medidas de ‘espionagem’ e prevenção. Associado ao Performance Data Recorder (sistema de gravação ‘logger’ e vídeo), desenvolvido pela Cosworth, o ‘Valet Mode’ permite bloquear o acesso ao porta luvas, desativar o sistema de infotainment, limitar a performance e gravar em vídeo com alta definição HD toda a atividade e dados do carro.

A visualização dos dados gravados, que compreendem a velocidade, regimes do motor e aceleração gravítica g, por enquanto ainda não pode ser efetuada remotamente. Todavia assim que o carro é devolvido ao proprietário este tem oportunidade de imediatamente ver como foi tratado o seu Corvette.

chevrolet corvette

A Lamborghini acaba de revelar o mais recente carro de corrida. O Huracan Super Trofeo é o sucessor do Gallardo nascido para as pistas e que contou com a ajuda dos especialistas italianos da Dallara. Este novo Lamborghini servirá para pilotos do troféu monomarca Lamborghini Blancpain Super Trofeo, competição que tem provas em três continentes: Ásia, Europa e América do Norte. 

Por comparação com o modelo de série, o Huracan Super Trofeo conta com apêndices aerodinâmicos de grandes dimensões e especialmente concebidos para competição. Este conjunto de alterações compreende um enorme spoiler dianteiro, fundo plano na parte inferior do carro e uma asa traseira suspensa ajustável em 10 vias. 

Para garantir a melhor aderência em pista o Lamborghini Huracan Super Trofeo tem montados pneus especiais Pirelli de alto rendimento em jantes superleves. 

A Lamborghini escolheu o motor 5,2 litros V10, derivado da versão de estrada, para dar ânimo ao Huracan de corrida. As alterações introduzidas de forma a maximizar a performance compreendem uma gestão eletrónica (ECU) específica, escape direto, o que permite um ganho de 9 cv (potência de 611 cv) face ao Huracan normal. A caixa de sete velocidades com dupla embraiagem de série deu lugar a uma caixa sequencial especial para competição produzida pelos especialistas da ZF com apenas seis relações. 

Como a rapidez em pista também se consegue através da redução do peso total do carro, a Lamborghini conseguiu um carro mais leve 70 kg face ao anterior Lamborghini Super Trofeo, o Gallardo. As diferenças em relação à versão de estrada também aqui se notam, a marca italiana de Sant’Agata Bolognese abdicou do sistema de tração integral para dotar o Huracan Super Trofeo apenas com tração traseira. A ajuda eletrónica à condução é feita através de um sistema eletrónico de tração que conta com 12 programações, 6 para piso seco e outras 6 para piso molhado. 

Huracan super trofeo

 

O revolucionário híbrido i8 da BMW terá entre outras novidades uma chave inteligente que permitirá ao utilizador visualizar dados do seu relativos ao automóvel em tempo real. A chave conta com um ecrã a cores integrado no qual é possível visualizar informação relativa ao estado de carga das baterias de iões de lítio e o nível de combustível no depósito, entre outras funcionalidades, com uma aparência semelhante à aplicação BMW i para relógios inteligentes (‘smartwatches’) Samsung Galaxy Gear. Além desta informação, nunca antes apresentada neste tipo de componentes, o utilizador tem ainda à disposição o convencional comando de abertura e fecho remoto das portas do automóvel.

A ‘infokey’ ou ‘smartkey’, ainda não tem designação, nem uma aparência finalizada, tendo apenas sido confirmada pelos responsáveis da marca no recente Concurso de Elegância de Pebble Beach. A versão final desta chave que abrirá as portas do futuro tem previsão de lançamento para o próximo mês de abril.

Talvez a futura chave do BMW i8 seja assim

Talvez a futura chave do BMW i8 seja assim

...por enquanto ainda tem este aspeto convencional!

…por enquanto ainda tem este aspeto convencional!

 

O dia 18 de agosto de 1959 assinalou o arranque de vendas do Mini. Concebido por Sir Alec Issigonis o Mini foi idealizado para ser um automóvel com habitabilidade interior apreciável para 4 passageiros, baixo consumo de combustível, uma dinâmica de condução própria e um preço à imagem do nome: mini. Este cocktail de ideias brilhantes teve como resultado um automóvel popular, cujo caráter extende-se até ao século 21 e apenas com ligeiras modificações ao seu caráter original. A carroçaria autoportante, o motor em posição transversal e a tração dianteira foram caraterísticas inéditas à data num automóvel com estas dimensões.

O renascimento da Mini, com modelos ajustados à modernidade, aconteceu em 2001 e já com a marca inglesa sob a disciplina da alemã BMW.  Aliás foi a Mini a primeira a estabelecer com enorme sucesso os padrões neo-retro seguidos posteriormente por outros fabricantes de automóveis na recuperação de icónicos modelos. A personalização ímpar através de vistosos esquemas de cores contribuíram para confirmar a evolução da juventude da Mini. 

A atual gama da Mini compreende um largo número de modelos: à variante de carroçaria convencional somam-se as iterações Clubman (station wagon), Cabrio (descapotável), Coupé, Roadster, juntado-se ainda os mais excêntricos Countryman (SUV/Crossover) e Paceman (SUV Coupé). Brevemente, e a finalizar o lançamento da terceira geração da era moderna do Mini, surgirá a versão de cinco portas. Cada uma destas versões conta com modelos de acrescida genética desportiva em declinações Cooper, Cooper S  e John Cooper Works, tal como acontecia na gama da década de 60. 

Apesar de pequeno em tamanho, o Mini impôs-se entre os grandes do desporto em diversas provas de automobilismo, dos circuitos aos ralis, Paddy Hopkirk foi o primeiro a inscrever o nome da marca entre os vencedores do exigente Rali de Monte Carlo aos comandos de um automóvel da marca. Seguiram-se mais duas vitórias na mítica prova do mundial de ralis assinadas pelos finlandeses Timo Makinen e Rauno Altonen em carros idênticos. A capacidade de tração e a excelente maneabilidade deste modelo permitiram que o Mini se impusesse categoricamente face aos rivais nas difíceis condições meteorológicas que caraterizam as classificativas que os pilotos enfrentam nas estradas dos Alpes. 

Todas as notícias sobre a Mini aqui!

mini 50 anos wrc

 

O engenheiro Micah Toll desenvolveu o ‘Barak’, um sistema que promete transformar com a máxima facilidade qualquer bicicleta numa bibicleta com motorização auxiliar elétrica. O kit Barak compreende uma bateria de iões de lítio, painel de controlo e comando, acelerador para instalar no punho do guiador e uma roda dianteira com um motor elétrico instalado no cubo. Dada a simplicidade de montagem deste ‘kit’ é possível efetuar a operação de conversão de uma bicicleta tradicional numa moderna e-bike em apenas 15 minutos sem necessidade de recurso a mão de obra especializada ou ferramentas específicas. 

As bicicletas equipadas com kit Barak têm uma autonomia entre 32 e 50 km por cada carga completa da bateria e conseguem atingir velocidades máximas na ordem dos 32 km/h apenas recorrendo ao motor elétrico. 

Este kit de modernização de bibicletas está em campanha de financiamento na plataforma comunitária Kickstarter. Até ao momento já houve 19 subscritores que garantiram 4157 dólares de um total proposto pelo engenheiro Toll de 12.000 dólares. Restam ainda 21 dias para o projeto ganhar rodas para andar.

O preço do kit proposto com 350 w e roda de 20” é de 585 dólares. Micah Toll propõe ainda versões com 500 w para rodas de 20” e 26”.

 

Mais informação aqui. 

barak barak2

 

 

 

A ligação entre o simulador de condução de automóveis Gran Turismo 6 (GT6) para as consolas Sony Playstation 3 e 4 aos fabricantes de automóveis é cada vez maior. Desta vez foi a Toyota a mostrar um concept desenvolvido especialmente para o jogo. Marcas de automóveis como a Mercedes-Benz, BMW, Nissan, Aston Martin, Mitsubishi e Citroen encontraram nesta nova plataforma uma excelente forma de catalisarem novos fãs para as suas marcas. A Toyota decidiu agora entrar neste novo desafio, uma espécie de nova dimensão do marketing.

O modelo que a marca japonesa agora mostra tem formas já conhecidas, recicladas do conceptcar superdesportivo FT-1 mostrado pela primeira vez no Salão do Automóvel de Detroit e desenhado pelo estúdio de design CALTY que a Toyota detém há mais de quatro décadas na Califórnia. A CALTY estudou condições de condução reais em circuitos e pistas para automóveis existentes de forma a otimizar apêndices aerodinâmicos de forma a garantir a maior estabilidade dinâmica e arrefecimento do motor.

O desafio está lançado aos jogadores do Gran Turismo 6 (GT6) que terão agora pela frente ainda mais horas de jogo para explorarem o novo carro de desejo da Toyota.

toyota Ft1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d bloggers like this: