McLaren 570S entra para a história como o mais barato da marca para rivalizar com Porsche 911 e Audi R8

A histórica fabricante de supercarros McLaren revelou as primeiras fotos do seu novo automóvel de muito alta performance mais barato. O novo McLaren 570S nasceu para abater modelos célebres como o Porsche 911 e o Audi R8. O preço do McLaren 570S ainda assim situa-se ligeiramente acima da fasquia dos 150 mil euros, cerca de um terço do modelo que a marca britânica mostrou no último Salão do Automóvel de Genebra. O desenvolvimento deste novo 570S da McLaren era já conhecido há vários meses, quando a revista britânica AutoCar revelou o projeto P13 da marca (ver notícia aqui).

Equipado com motor central traseiro V8 e tração às rodas posteriores o novo McLaren 570S captou desde as primeiras horas de vida a atenções do mundo, daí que a marca tenha mostrado o modelo sob o maior secretismo numa premiére à Imprensa mundial em janeiro último. Segundo se soube, o ‘baby’ McLaren foi utilizado para o mais recente videoclip de Madonna que em breve fará também a sua estreia.

Com um chassis fabricado em fibra de carbono, 562 cv e apenas 1270 kg, o novo McLaren 570S acelera dos 0 aos 100 km/h em apenas 3,2 segundos, deixando para trás a marca do Porsche 911 S a mais de um segundo.

As preocupações da equipa de desenvolvimento do novo McLaren 570S não se centraram apenas no alto rendimento e eficácia do supercarro britânico. Os engenheiros focaram-se igualmente em tornar o habitáculo mais espaçoso e versátil de forma a permitir uma utilização quotidiana com um grau elevado de conforto. Robert Melville, responsável do departamento de design da marca adiantou em declarações à Bloomberg Business que «no interior conseguimos dispor de mais espaço e também utilizar este carro nas nossas deslocações diárias, não apenas em pista».

Graças a este novo 570S a McLaren prevê triplicar o seu volume de vendas até 2020.

O berço dos novos McLaren 570S

Baseada em Woking (Inglaterra) a McLaren tem nas suas instalações austeras um cofre de segredos bem guardados. Das instalações, cujo ar futurista está bem integrado na bucólica paisagem rural britânica, saem anualmente mais de 1750 carros, dentro de um ano a marca planeia duplicar este número, ambicionando chegar aos 4000 graças também ao lançamento do novo McLAren 570S

Para produção de automóveis com um muito alto índice de qualidade os funcionários da McLaren têm nas instalações acesso a cigarros, chá e bolachas distribuidos por várias pausas ao longo de um dia de trabalho. Abaixo do solo têm ainda a possibilidade de frequentar um ginásio e uma piscina, assim como fazer as suas refeições na cantina que poderia muito bem ser um restaurante de luxo aberto ao público em geral. Mesmo com o aumento do volume originado pela estreia do McLaren 570S no mercado não estão previstas alterações na rotina laboral.

No interior o silêncio é sepulcral segundo avança a reportagem da Bloomberg Business, assim como a atenção dos  funcionários a dispositivos equipados com máquina fotográfica é sobrenatural. Daqui saem, além dos novos McLaren 570S, os monolugares de Fórmula 1, e o revelar do mínimo segredo em golpe de espionagem industrial pode resultar perdas de milhões de libras para a equipa e para a marca. Assim faz sentido todo secretismo que se respira naquela atmosfera da fábrica de Woking.

A história da McLaren até ao novo 570S

Aos 52 anos de idade a McLaren é a segunda equipa mais idosa da Fórmula 1 (a primeira é a Ferrari). Apesar de não liderar como mais antiga, a marca está entre as mais vitoriosas e é a única que até agora garantiu a vitória em três competições distintas: F1, Can-Am, Indy 500, e as 24 horas de LeMans. Apesar de ter passado recentemente uma fase menos boa da sua hitória de vitórias (na temporada passada a equipa não foi além da quinta posição no Campeonato Mundial de Construtores da F1) para 2015 conta com um invejável lote de pilotos: o espanhol Fernando Alonso e o britânico Jenson Button. Para a história da marca ficam as míticas performances de pilotos como Niki Lauda, Ayrton Senna e Alain Prost. Os mais novos não estranharão fenómenos como Lewis Hamilton. Em termos de motores a McLaren garantiu um elevado número de vitórias graças aos propulsores da Honda na década de 80 e 90. Como fornecedores seguiram-se a Peugeot e a Mercedes. Na história da marca destaque ainda para os potentes TAG Porsche e Ford. Ou seja, o novo McLaren 570S é herdeiro de uma linhagem desportiva pura.

O marketing da McLaren passa por isso mesmo, a consolidação de uma imagem forte no panorama desportivo mundial trará um elevado número de vendas, mesmo a um modelo de gama mais baixa como o McLaren 570S. Assim foi há alguns anos quando depois do supercarro F1 a McLaren voltou a lançar um modelo apto para as estradas. O MP4 12C teve o seu início de vendas dois anos depois dos primeiros traços no papel (um recorde para um automóvel desta natureza e especificidade). Seguiram-se listas de espera de meio ano pelo carro com 616 cv cujo primeiro salão de vendas encontrava-se nas imediações do londrino Hyde Park.

Após o fenómeno MP4 12C seguiu-se a abertura de mais 72 distribuidores em 32 mercados mundiais. A cadência de lançamento de modelos passou a anual, e contempla o estratosférico P1 cuja produção esgotou em apenas 5 meses. Os clientes gastaram mais de 1 milhão de euros num carro que nunca conduziram antes de o comprar.

Mclaren-570S-10.0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *